-------------------------------Todos os comentários serão moderados pelos administradores do blog, a fim de se evitarem comentários sem conteúdo pertinente de discussão------------------------------------

domingo, 26 de janeiro de 2014

A trafulhice como ADN

Nem sequer vou entrar em análises muito detalhadas, tenho uma certa repulsa por esterco desta natureza. Apenas devo notar o tom plural que vitor pereira e paulo fonseca denotam. O futebol português afirma-se cada vez mais como uma furda, nada mais natural que os porcos se sintam em casa...

13 comentários:

  1. São uns porcos os filhos da puta dos tripeiros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nunca mais marcas Montero, acabaram as pilhas? Ou Jardim não te deixa dar umas bombadas?

      Eliminar
  2. Uma vitória à porto...E de mota!... Cada vez tenho mais orgulho em ser sportinguista.

    PS- Apelo a todos os sportinguistas para estarem presentes em Alvalade no Domingo às 18:15, (jogo contra a Académica) para apoiarmos a equipa, pois eles merecem são equipa de raça, de querer de luta contra tudo e contra todos como demonstrou em Arouca e Penafiel. Não os podemos deixar sozinhos nesta luta.Vamos encher Alvalade.

    ResponderEliminar
  3. futebol português:

    junior do benfas vendido a um empresário por 15M????

    atraso no começo do jogo propositado para se poder decidir (caso houvesse necessidade) o que fazer lá para o minuto 90 e tal

    o mesmo se passou no porto-penafiel que devido á chuva o jogo atrasou na 2ª parte 35 minutos, tento o 4º golo sido conseguido num fora de jogo de 1 metro

    o lider da arbitragem diz que nas novas e (boas) mudanças apresentadas pelo Sporting em nada acrescentam de positivo e não interessam

    golo anulado a Slimani por Mota dos talhos

    penalty a favor do porto aos 93m por Mota dos talhos

    são apenas e só algumas "tretas" das ultimas semanas, mas há muitas mais...

    este futebol cheira mal, a café com leite azedo!

    ResponderEliminar
  4. azeite a correr nas veias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sem dúvida, os tripeiros têm mesmo pinta de azeiteiros, tens razão...

      Eliminar
  5. Os bácoros gostam de chafurdar.E só se sentem bem é no meio da sujidade.
    Para essa gente não há pedagogia que resulte.
    Podíamos dizer que têm desculpa, que é a natureza deles que os leva a ser assim: como a história do escorpião que ao ser salvo por uma rã de morrer afogado, mesmo assim não resistiu à sua própria natureza, não teve gratidão e deu a quem o tinha salvo uma ferroada letal. Mas isso são fábulas, e metáforas. A realidade é outra, algo mais terra-a-terra. Trata-se de um desporto chamado futebol, que se rege por regras e leis bem definidas, e que foram criadas para ser aplicadas de modo igual para todos os intervenientes no jogo. Se houverem clubes que ponham em competição equipas suas e eles beneficiem de tratamento diferenciado (para mais ou para menos) então algo está a tornar o desporto rei num jogo iníquo. E tendo em conta que o Futebol é hoje uma indústria cotada em bolsa, que movimenta muitos milhões de Euros, e que é regulamentada por uma entidade governamental - a CMVM - o benefício de uns intervenientes em detrimento de outros é decerto, para além de iníquo, também ilegal.
    Quando vemos os árbitros (que devem a sua existência nesse desporto à necessidade de haver um elemento imparcial que traga equilíbrio às disputas) a aplicar as leis do jogo de modo a impedir um interveniente de ser bem-sucedido, para benefício de outros, ou a aparecer nas redes sociais declarando publicamente a sua preferência por um ou outro Clube, então teremos que questionar se são esses os indivíduos certos para estar e, funções de tanta responsabilidade.
    Se juntarmos a este 'desarranjo' o facto de também a classe jornalística, por parte de quem os cidadãos podiam legitimamente esperar uma crítica isenta e relatos fidedignos do que acontece no meio futebolístico, demonstrarem um evidente alinhamento com as posições de certos Clubes, defendendo o indefensável num esforço de branquear tudo o que de mal acontece dentro e fora das 4 linhas, então o panorama é muito tenebroso, e não assegura a verdade desportiva, pondo em causa até mesmo o próprio «Regime Democrático» que nada faz para repor o respeito pelas regras de modo igual para todos os cidadãos e instituições. Neste âmbito não aplicam as metáforas. Se a natureza dos bácoros é gostarem de estar a chafurdar, isso é com eles, porque das autoridades os outros cidadãos só esperam que mantenham o futebol limpo, e todos os intervenientes a jogar limpo. Quando vierem a jogo não tragam a trampa,para não conspurcarem um ambiente que se quer limpo e saudável E que os árbitros também deixem de "errar" tanto, evocando a sua condição de seres humanos. Porque nós todos somos humanos, e nas nossa profissões não nos admitem que estejamos sempre a errar. E errar sempre contra determinado interveniente, torna o "erro" ainda mais suspeito.
    ARIEL,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bolas Ariel:

      que grande comentário e excelente também,o que me leva a estar tentado a convidar-te para fazeres parte do blog como cronista.

      tens razão no que escreves e a imagem do futebol português está tão lúcida quanto real.

      se errássemos assim nas nossas profissões (apesar de sermos humanos também) estaríamos no olho da rua há séculos.

      SL

      Eliminar
    2. Até podíamos estar na prisão, dependendo da profissão que fosse...
      Imagina que trabalhavas na rede de distribuição de águas de Braga, e em vez de LSD punhas lá cianeto. Bem podias alegar que eras humano, que o teu destino era a cadeia. Achas que te deixavam andar a fazer merdeka continuadamente, como permitem a esses cidadãos?
      Eles não têm mas é vergonha nenhuma na cara, porque apesar de os jogos de futebol serem dos eventos mais mediáticos, em que tudo é filmado por dezenas de câmeras, e visto e revisto por milhões de pessoas, mesmo assim cometem com a maior desfaçatez os erros mais grosseiros, como o do golo anulado ao Slimani. Ou aquele, aqui há anos, em que o nosso ex-guarda-redes Ricardo defendeu uma bola no fundo da baliza, e o apitador de serviço não sancionou o golo... mas isso tenho para mim que foi mesmo de propósito, com o intuito de ridicularizar a posição crítica do Sporting para com a arbitragem. Para que os "jornaleiros" pudessem escrever e dizer: «pois, falam, falam, mas também beneficiaram daquilo».

      Eliminar
  6. Ena pá...como tem chovido lá pelo norte...

    Bolas...o estado em que ficou o Olival...!

    SL

    ResponderEliminar