-------------------------------Todos os comentários serão moderados pelos administradores do blog, a fim de se evitarem comentários sem conteúdo pertinente de discussão------------------------------------

domingo, 10 de novembro de 2013

Fazer do ódio um projeto - parte II

Infelizmente, o post que publiquei revelou-se algo premonitório. Para quem considere que a re-afirmação do Sporting passe apenas pela recuperação financeira e pela melhoria exibicional, desengane-se. Isso não chega.

Duarte Gomes é simplesmente o árbitro que se recusou a apitar o Sporting. Duarte Gomes é simplesmente o árbitro que se permite empurrar treinadores em Alvalade e que, ainda por cima, se dá ao luxo de se queixar nos merdia da pressão que sofre no nosso estádio. Duarte Gomes foi o árbitro que ontem fez vista grossa a dois penalties absolutamente evidentes.

Mas Duarte Gomes é apenas a expressão mais clara duma máquina que vive e respira para garantir que o Sporting não regresse ao seu legítimo lugar. Não joga limpo. E vai sendo tempo que compreendamos que também o não podemos fazer.

4 comentários:

  1. muito bem dito endho, chegou a altura de jogarmos o jogo dos outros, isto tem de acabar, arbitragens encomendadas que nos prejudicam sistematicamente


    sl

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, não dá pra ver de outra maneira...

      Eliminar
  2. Meus amigos essa história de não nos metermos pelos caminhos escuros dos meandros do futebol não faz sentido, temos que estar também na podridão, ter "tropas" para cascar neste tipo de pessoas (Duarte Gomes) etc etc, enquanto no aparecer um cabrão destes num hospital não vamos a lado nenhum, será reação em cadeia para beneficio da verdade no futebol, só de pensar que estes incompetentes e vendidos querem ser profissionais até me dá gases.

    ResponderEliminar
  3. Não há ninguém mais pacífico que eu, mas há um ponto em que se não existe respeito, que se tenha medo. Os gomes e capelas não podem continuar a passar incólumes!

    ResponderEliminar